Horizontes

As Três Cavernas

Luna é raptada por Sombras; os aprendizes vão com Jamal ao seu resgate, rumo ao centro do Caos

Rede

Greg Skull está na Rede Digital, abandonados pelas meninas, seu Mentor e seu patrão, quando percebe um alarme tocando em seu sensor: muitas viaturas estão indo para a Ermida Dom Bosco, e algo acontecendo lá. Procura pelo sinal do celular de Luna, e a encontra na Ermida, mas o sinal é intermintente. Seu mentor, Daniel Schneider, se recusa a atender o teleone, então ele monta em sua moto vitual, e se dirige até a Ermida Digital, fritando os circuitos das viaturas que encontra.

No caminho, tenta localizar novamente Luna, novamente nada. Procuran algo que poderia usar como uma forma de emitir uma mensagem. “Um poste? Não elas não iriam entender. Perfeito, uma picape com um som absurdo…” só um Efeito rápido de Forças e Correspondência para interferir no sistema de rádio do som e emitir uma mensagem:

-“Queridas Haribôs do meu Brasil, uma mensagem daquele que lhe ama: Os MIBs estão chegando!”

Quando o sinal de Luna some, repentinamente, Greg apela para a única opção que lhe resta: invadir o sistema de comunicações do Furgão dos Antivírus e encaminhar as coordenadas do grid visual, na esperança de que estes salvem suas amigas.

Ermida umbra

Luna é agarrada pelas Sombras. Dona tenta puxá-la para baixo, mas as Sombras são mais fortes, e levam Luna para cima, derrubando Dona no chão. As Sombras não parecem notar Dona, embora uma delas pareça estar farejando.

Enquanto isso, o ambiente ao redor ainda é estranho, meio real e meio umbral. Ela ouve uma mensagem distorcida: “Queeeeridas Haribôosss…”. Decide usar seus sentidos de Mente para avaliar o ambiente, e sente loucura emanando das criaturas, agressividade vindo da pista ao longe, e medo do estacionamento perto. Vai em direção ao medo, e descobre uma escada que sobe e uma que desce. Indecisa até o último momento, pega a que sobe, chegando no monumento, e vê que algumas pessoas estão fugindo aterrorizadas, enquanto outras estão curiosas, olhando a semi-Umbra.

Lá de cima desce furiosamente um furgão preto, de onde saem três Homens de Preto: um contém a multidão, e dois outros descem em direção a Dona. Uma das Sombras sobe voando em direção ao Lago Sul, outra continua farejando o terreno, muitas mais estão descendo do céu. Dona pula o corrimão, de volta para a Umbra embaixo, e pega a escada que desce.

K nyan

De repente, se vê num escuro total, e tateando pelo corredor que desce, ouvindo passos atrás, chega a uma gigantesca caverna azul. Atrás dela, os dois MIB – um homem, e uma mulher – estão se aproximando. A caverna é misteriosa, mas não parece ameaçadora, e Dona resolve fugir para dentro. Atrás, a mulher de preto aparece na abertura, preparando uma algo para jogar nela. O homem, chegando logo atrás, está fazendo alguma magia de Entropia.

A mulher diz – “Vai ser melhor para você se vier com a gente”, mas Dona (pre)vê o aparelho sendo arremessado em sua direção e explodindo, e prefere correr mais pro fundo da caverna do que ficar para conversar. A mulher joga a bomba, que pega Dona de raspão, mastigando seu ombro esquerdo.

Skull está passeando em sua MotoCiclo pelos Barramentos da Rede, contemplando o programa original do Dom Bosco, sem se lembrar do que deveria estar fazendo. Desconfiado, resolve checar seus logs de sistema, e está chegando à conclusão de que alguém deletou arquivos e apagou muito bem as trilhas, quando o Daniel aparece ao seu lado, com cara de abobado.

Greg se espanta e pergunta onde ele estava o dia todo, se irritando quando ele responde que estava cochilando. Chegando na Ermida, vêem o código totalmente torcido e corrompido, como se nada houvesse naquele lugar reconhecível. Daniel se espanta vendo essa zona no código, e desloga na hora dizendo que vai achar o Jamal.

Greg sem entender decide deslogar e ir usar o banheiro, mas recebe uma ligação do Daniel avisando que era pra ele descer para a Ermida de moto. Com preguiça, pede para Bit descobrir o que está acontecendo lá:

- “Amiga”, Bit responde, e mostra Dona olhando a paisagem, com cara de abobada.

Ermida

Dona está com as memórias enevoadas, achando a vista de Brasília do séc. XXI bela, quando se lembra que estava com Luna na Umbra. Ela vasculha sua bolsa, e descobre para seu horror que sumiram sua gata, e todos seus focos – menos Ritalina, que está escondida em um bolso mais interno. Também percebe que sua mente foi alterada, e resolve ir para um lugar quieto, no banheiro, e descobrir o que aconteceu com Mente e Tempo.

Cantarolando sozinha, vai se lembrando lentamente dos eventos até o combate: depois da bomba, tentou fugir mais, mas quando se virou, o chão quebrou sob seus pés e ela caiu. Os MIB se aproximaram, primeiro ela depois ele, e então ela não consegue se lembrar de mais nada. Tenta aproveitar a privacidade para pegar uma Quintessência do local, consegue pouca e com gosto de merda.

Uma batida na porta – “Estamos fechando em breve.”

Saindo do banheiro, vai contemplar o monumento no meio Ermida: o lugar onde ela caiu e ficou presa por anos. Acha estranho: era uma túnel fundo e escuro, mas agora não encontra lá passagem. Então chegam Greg, Daniel e Jamal.

Jamal sai para dar uma olhada no ambiente, e Greg, Daniel e Dona conversam. Greg está completamente confuso com a situação espiritual, e Daniel oferece levá-lo para conversar com “o Cara” que segundo ele vai deixá-lo ainda mais confuso, mas vai dizer o que que está acontecendo. Greg liga para a Illusive, pedindo que um motoboy leve sua arma, e Dona vai pegar algumas ervas no mato e recuperar mais Quintessência, fazendo um auê e encontrando sua Familiar.

Jamal volta, dizendo que “Luna fez uma cagada bunita, deixou as Sombras escapá, mas os Homi fecharam a porta direitinho, p’que pelo menos isso eles sabe fazê direito.” Dona se sente responsável e quer ir atrás de Luna, mas Jamal diz que “a Luna é minha aluna, então eu vou lá ajudá ela”, e convida os outros para irem junto se quiserem. Daniel recusa veementemente, mas Dona acha que deve ir, e Greg resolve ir junto. Quando Dona fala da caverna azul, Jamal responde para que não volte lá. Ele diz: “tem três caverna, a azul, a vermelha e a preta. A azul é perigosa, a vermelha é mais, e a preta fudeu. Acho que a Luna tá na preta.”

Eles decidem o jeito mais fácil: pegar uma carona com as Sombras. Jamal abre a Umbra ao redor como se fosse fácil – Daniel dá um passo para trás, sorrindo e acenando adeus – e Jamal solta “fogos de artifício” espirituais. “E aê, galera”, diz ele, para um pequeno exército de sombras, que chegam na mesma hora e ficam paradas encarando-o, sem se aproximar. “Chama atenção deles, galhera!” – e Greg atira contra as Sombras usando Primórdio na arma. Três delas o agarram imediatamente, e começam a levá-lo.

Dona não sabe como chamar a atenção, mas tenta examinar as criatura com Mente. A loucura delas a choca, e quando ela tenta entrar numa “mesma vibe”, o mundo ao seu redor vira caótico, e ela é agarrada.

Atrás deles, Jamal simplesmente cria asas, e voa.

Eles voam acima das nuvens, em direção a uma montanha gigantesca. Então, do nada, descem e entram em uma caverna, onde tudo fica negro e silencioso. Depois de muito tempo, são largados, e caem em uma pilha de ossos podres.

Niguém vê ou ouve nada, a caverna é completamente escura e abafa qualquer som ou luz que os Magos tentem produzir. Greg sente um toque humano, e algo no toque o faz se sentir bem. Com Primórdio e Correspondência, ele sente o Padrão de Jamal ao seu lado, um Padrão enlouquecido a uma certa distância. A caverna onde estão é enorme, possui um paredão em uma direção, uma grande abertura em um lado, pequenas cavernas do outro, e continua indefinidamente em direção oposta ao paredão.

Jamal o ergue, e eles voam até o Padão enlouquecido, que afinal é Dona. Ela se recupera, e Jamal faz com que eles enxerguem espiritualmente: se vêem como seus Avatares, as sombras são fagulhas roxas, e acima do paredão há um leve brilho vermelho. Jamal os leva para cima do paredão, primeiro Dona e depois Greg. Este passa 20 minutos assustadores sozinho no escuro, em especial quando percebe movimento abaixo dos ossos, centenas de metros à sua frente.

Parede yoth

Em cima do paredão, conseguem conversar. Jamal diz que acha que estão entre as cavernas vermelha e preta.

“Pá lá é Yoth, pá lá N’kai”, diz, apontando primeiro para o brilho vermelho, depois para o fundo distante da caverna negra. “Sô mais ver Yoth antes, é mais de boa, mas acho que Luna tá pra lá pro escuro. Aqui é tudo Espírito, mas cês pódi vê que é meio deserto, então não tem muita coisa pá eu fazê.”

Greg sente a Ressonância de Luna na direção das pequenas cavernas, e decidem ir para lá. Desta vez, Greg primeiro, depois Dona. Chegando lá, a comunicação pára novamente, mas os Aprendizes descobrem que são capazes de compartilhar suas percepções mágicas.

Atrás deles, um abismo. À frente, túneis intermináveis, com algumas saídas misteriosas à distância: uma nova aventura.

Comments

Monstah Monstah

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.