Horizontes

K'n-yan, parte 2
Em busca de um Quintessência, o grupo conhece o Templo da Heresia

Seguindo X’clo’tlan, a Cabala se depara com um templo abandonado, nos arredores de B’graa. Ele diz que foi um lugar muito importante no passado: Gal-H’abor, o Templo da Heresia. Lá, cultuava-se o corpo, o prazer, e Tsathoggua, a mãe-disforme de N’kai.

É um prédio negro, achatado e anguloso, com projeções laterais, e feito de pedra negra e lustrosa. Não parece ter nenhuma decoração, nem são visíveis as juntas entre as pedras lisas. X’clo’tlan empurra para dentro a porta lisa e sem mecanismos, e ela desliza para dentro suavemente, embora seja enorme e de pedra sólida, deixando um rastro na poeira do chão.

View
K'n-yan, parte 1
Vêem-se pela primeira vez as Cavernas Azuis, e os habitantes de Tsath

A descida

  • Cabala desce por uma escadaria imensa em um túnel de pedra, com algumas estátuas em alcovas aos lados. Depois de muito tempo, a escadaria termina e o túnel se abre em uma ampla caverna, a parede atrás deles na verdade um pilar. A caverna é iluminada por inteiro por uma luz azulada, que parece emanar da própria atmosfera, fazendo com que a distância se perca em uma névoa de luz.
View
Esgotos
O grupo enfrenta baratas e ratos no submundo da Umbra, e conhece os Fonseca
  1. Rachadura – Os magos atravessam para a Umbra por uma rachadura no porão
    • entam em um vazio sideral, de onde vêem Brasília por baixo, e descem em direção a um esgoto que vêem abaixo deles
View
Umbra Illusive, parte 3
  • área de testes
    • se deparam com grande muvuca: robôs trabalhando, atirando com armas, manuseando bugingangas e vultos tênues andando em todo lugar, como uma névoa
    • Greg tenta mapear local, mas falha. Fica estressado, frustrado com a Umbra, e depois foca sua atenção na segurança do local
    • Dona testa “zona de conforto” do ambiente, atrai segurança
    • Greg entrega códigos de segurança que conseguiu do terminal, e pede uma revisão para todos; o robô-segurança os guia até a Área de Segurança
  • segurança
  • escritórios
  • depósito
  • rachadura
View
Umbra Illusive, parte 2
  • manufatura pesada
  • R&D
  • Luna e Drake
  • máquinas ligando
  • área de testes
View
Umbra Illusive, parte 1
O grupo dá seus primeiros passos em sua exploração rumo ao Fragmento
  • portal
    • HUB, Drake e Zorka, Rede, Nodo
  • elevador
    • saguão
    • janelas: sombras, cidade
  • elevador de novo
    • teias, greg usa forças
  • manufatura
    • pequenas aranhas
    • drones
  • combate sentries
    • bombas de primórdio, cloak
    • armas, bombas

The fake cabal enters the contraption that Dr. Zorka and Drake builded and comes out to a blank room filled with computers. The nerd goes to the door and opens it, finding himself in a umbral clone of the Illusive corp. Through a monitor he tries to establish communication with his boss and the weird Zorka, it partially worked, but no coherent conversation came out of the interaction.

The others seem as drugged roachs walking side to side, again the nerd has to take the lead he went to his sanctuary and tried to use his programmed webship in this back door umbra. Didn´t happen. Meanwhile, Benta, Manoel e Dona are trying to enter Drake personal Node.

View
Busca por um Fragmento
Drake dá ao seu grupo uma missão: explorar a Umbra atrás de um artefato poderoso

Tendo concluído sua pescaria noturna, Manoel sente que o ambiente ao seu redor está sombrio e hostil. Carrega a carroceria de sua Chana com seus bacalhaus para ir para casa, e com medo da sensação pesada que sente, faz um Rito de Proteção pagão no carro e liga para Luna. Esta não fica nem um pouco alegre de ser acordada de madrugada, e explica para Manoel sobre as Sombras.

Terminada a conversa, Luna já está sem sono, e acorda Dona para conversam sobre as Sombras; não chegando a nenhuma conclusão, Luna abandona a conversa humana e cai em sonho, conversando com a primeira figura que encontra. Esta convém para Luna um pouco da natureza das Sombras, de sua fome de Quintessência e Paradoxo. Voltando à lucidez, ela acorda Dona de novo, mas esta não está interessada.

Luna vai para a janela respirar, e expandir suas percepções novas de Correspondência. Ela fecha os olhos, e sente o fluxo de Quintessência, sua direção, a Tempestade ao alto, e em tudo isso um ponto de foco: a Pedra Branca na Praça do Cruzeiro.

View
Casa de Mármore e Cristal
  • Zorka pede a Duda que faça parte do grupo que está se formando na Illusive
  • Manoel é apresentado a Drake e Drake pede a Greg que pesquise sobre o livro
  • Duda conta para Zorka o que aprendeu sobre a Illusive, os Despertos e o livro
  • Dona vai na LAN house
  • pesadelo Dona, Luna faz leitura de cartas: morte e torre
View
Retorno de Luna

Luna está em um lugar sombrio, e tem visões:

  • muitos rostos, monstros. ela se comunica com uma mulher, o rosto diz que é ela mesma
  • uma cachoeira, com as sombras voando acima, e uma água gelada abaixo. Ela entra na água, que é gelada e a fere
  • um rosto feminino, várias navalhas e seres deformados. Todos dizem que concordam com ela
  • dois rostos separados por uma navalha. Ela supõe que o rosto negro diga mais verdade, mas são ambos ela
  • o fim do mundo. Tudo se escurece, o mundo se torna um vazio permeado por estrelas pequenas, sozinhas e frias

Por fim, grita por Jamal. Sente uma mão alcançando dentro do turbilhão de emoções e arrancando-a para fora. Ele diz que descanse, conta onde pode encontrar seus amigos depois, e some. Ela acorda em seu quarto algum tempo depois.

View
Possibilidades no Passado
  • manoel acha que os deuses estão insatisfeitos, e quer fazer um sacrifício
  • ele vai pesquisar na loja de morgana, mas benta está de mau humor e não o ajuda muito
  • com muito esforço, acha um livro que parece ser muito bom e consegue que morgana o empreste por uns dias
  • ele prepara uma quantidade imensa de seu bacalhau mágico e faz uma doação para um hospital
  • o sacrifício funciona um pouco, mas os curados não são muito agradecidos
    --
  • na casa do cara, ele “explica” para dona e greg que voltou no tempo várias vezes depois de o mundo acabar, e que o fim não é mesmo um fim mas uma parada cada vez diferente, e talvez diferente para cada um toda vez
  • dona tem uma “conversa” com o cara
  • fumando e tocando bongô, ele a leva para um tempo antes do Reckoning, e explorando possibilidades eles descobrem que o que está acontecendo não pode ser impedido, nem sobrevivido à força bruta, mas talvez guiado
  • enquanto isso, greg está afugentando gremlins na rede, e descobre sobre ACTA, PIPA e SOPA que ocorreram em sua ausência, que ameaçam a sobrevivência da rede
  • todos, laricados, vão para o restaurante de manoel, ali na esquina
    --
  • o cara apresenta manoel para dona e greg, e eles laricam um bacalhau mágico que cura os dois
  • manoel entra na conversa do fim do mundo
  • daniel aparece, e fala sobre avistamentos de discos-voadores
  • greg propõe que se aliem à tecnocracia para guiar a humanidade durante a mudança. isso, ou sobreviver na tora com drake, depois encontrar o Cara e voltar com ele quando ele descobrir como fazer, e depois descobrir o que raios fazer no passado.
View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.